[vc_row][vc_column width=”5/6″][vc_tta_tour][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-fire” title=”Combustível” tab_id=”1494855807268-ebd1c48d-746c” add_icon=”true”][vc_custom_heading text=”COMBUSTÍVEIS” font_container=”tag:h1|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][mk_image src=”http://exito.opaideias.net.br/wp-content/uploads/2017/05/metal_02.png” image_size=”full” animation=”left-to-right”][vc_custom_heading text=”Gasolina tipo A” font_container=”tag:h1|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][vc_column_text]A gasolina é o carburante mais utilizado atualmente nos motores endotérmicos, sendo uma mistura de hidrocarbonetos (compostos orgânicos que contém átomos de carbono e hidrogênio) obtidos do petróleo bruto, por intermédio de vários processos como o “cracking”, destilação e outros. Os hidrocarbonetos que compõem a gasolina são formados por moléculas de menor cadeia carbônica (normalmente cadeias de 4 a 12 átomos de carbono).[/vc_column_text][vc_separator][vc_custom_heading text=”Etanol Anidro” font_container=”tag:h1|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][vc_column_text]

O etanol misturado é o etanol anidro, etanol com graduação alcoólica próxima a 100%. Seu processo de fabricação é o mesmo do álcool hidratado, com a diferença que após a fermentação ocorre sua desidratação (retirada da água utilizando o método da destilação). Além do uso combustível, o etanol anidro também tem grande utilidade industrial, estando presente em solventes, tintas e aerossóis.

A presença do álcool anidro na gasolina aumenta o número da octanagem do combustível (resistência a detonações não controladas), aumentando o tempo de vida útil do motor. Outras vantagens é a diminuição da emissão dos gases de efeito estufa, pois o etanol é combustível renovável, e a diminuição dos custos, sendo que o país tem uma alta capacidade de produção de etanol e precisa importar gasolina para atender todo o mercado interno. Até 25%, o etanol pode ser misturado à gasolina sem a necessidade de nenhum ajuste no motor.

[/vc_column_text][vc_separator][vc_custom_heading text=”Diesel B S10″ font_container=”tag:h1|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][vc_column_text]

Combustível inflamável, medianamente tóxico, volátil, com odor característico e coloração natural, o óleo Diesel B S10 é composto por 93% em volume de óleo diesel e 7% em volume de biodiesel (B100), conforme legislação vigente. É utilizado em motores de combustão interna e ignição por compressão (motores do ciclo diesel) empregados nas mais diversas aplicações; tais como: automóveis, furgões, ônibus, caminhões, e aplicações estacionárias (geradores elétricos, por exemplo).

O Diesel B S10 possui teor de enxofre máximo de 10 ppm

[/vc_column_text][vc_separator][vc_custom_heading text=”Diesel B S500″ font_container=”tag:h1|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][vc_column_text]

Combustível inflamável, medianamente tóxico, volátil, com odor característico e coloração natural, o óleo Diesel B S500 é composto por 95% em volume de óleo diesel e 5% em volume de biodiesel (B100), conforme legislação vigente. É utilizado em motores de combustão interna e ignição por compressão (motores do ciclo diesel) empregados nas mais diversas aplicações; tais como: automóveis, furgões, ônibus, caminhões, e aplicações estacionárias (geradores elétricos, por exemplo).

O Diesel B S500 possui teor de enxofre máximo de 500 ppm

[/vc_column_text][/vc_tta_section][vc_tta_section i_icon_fontawesome=”fa fa-certificate” title=”Resina termoplástica” tab_id=”1494855807399-fb910a57-1e66″ add_icon=”true”][mk_image src=”http://exito.opaideias.net.br/wp-content/uploads/2017/05/resina_fundo.png” image_size=”full” title=”Resina Termoplástica” animation=”left-to-right”][vc_custom_heading text=”Resina Termoplástica” font_container=”tag:h1|text_align:left” use_theme_fonts=”yes”][vc_column_text]Resinas cujo processo de formação de filme ocorre exclusivamente pela secagem física (evaporação de solventes). Se o filme final for exposto aos solventes adequados será solubilizado novamente. Geralmente são utilizadas resinas acrílicas com alta temperatura de transição vítrea (Tg), comumente chamadas “lacas acrílicas”.[/vc_column_text][/vc_tta_section][/vc_tta_tour][/vc_column][vc_column width=”1/6″][/vc_column][/vc_row]